terça-feira, 27 de setembro de 2016

Leituras Partilhadas: A Amiga Genial , Elena Ferrante

“Não há nenhuma história que não tenha raízes no sentimento que a pessoa que a escreve tem da vida. Quanto mais esse sentimento passa para a narrativa, para as personagens, mais a página dá forma a um efeito pungente de realidade”

Elena Ferrante in Escombros

Gostei muito de ler os dois primeiros volumes desta serie de quatro romances da escritora Elena Ferrante. Uma escrita clara, cativante e  assim quando acabamos de ler o 1º volume, queremos logo iniciar o volume seguinte.
 Quatro volumes que poderiam ser apenas um; neles acompanhamos a vida de duas mulheres e das famílias que as rodeiam. Começa na infância de duas amigas diferentes, opostas, a pacata (Lenú) e a rebelde (Lina), que seguem vidas distintas e acabam sempre por se reencontrar até ao dia em que uma delas desaparece.
Nestas narrativas, é impossível não pensar na nossa infância, nas amizades que fomos criando, nas boas e más memórias da escola.

“Não tenho saudades da nossa infância, foi cheia de violência. Acontecia-nos de tudo, em casa e fora dela, todos os dias, mas não me lembro de ter alguma vez pensado que a vida que nos calhara fosse particularmente desagradável. A vida era assim e mais nada, crescíamos com a obrigação de torná-la difícil aos outros, antes que os outros a tornassem difícil a nós. É claro que teria gostado das maneiras delicadas que a professora e o padre pregavam, mas sentia que esses modos não eram adequados para o nosso bairro, mesmo para as raparigas. As mulheres lutavam mais umas com as outras do que os homens, agarravam-se pelos cabelos, magoavam-se. Fazer mal era uma doença.”
in  Uma amiga genial

Leia o artigo "Elena Ferrante,a voz que nos persegue" de Cristina Margata, publicado na edição do Expresso de 14 de maio de 2016. Este artigo dá-nos a conhecer a obra e a escritora, considerada uma das grandes escritoras contemporâneas pelo The New York Times


Sem comentários:

Enviar um comentário