sábado, 22 de setembro de 2018


O livro a História de Uma Serva (The Handmaid's Tale) foi mundialmente destacado graças à sua adaptação para série televisiva, que ganhou oito Emmys, entre eles os de Melhor Série Dramática e Melhor Atriz de Série Dramática.
Um livro que nos faz pensar … e se houvesse problemas na continuidade da espécie humana, se a infertilidade se espalhasse por muitas mulheres, o que aconteceria às mulheres férteis? Será que perderão a sua liberdade e serão simples máquinas de procriação?

SINOPSE
Uma visão marcante da nossa sociedade radicalmente transformada por uma revolução teocrática. A História de Uma Serva tornou-se um dos livros mais influentes e mais lidos do nosso tempo.
Extremistas religiosos de direita derrubaram o governo norte-americano e queimaram a Constituição. A América é agora Gileade, um estado policial e fundamentalista onde as mulheres férteis, conhecidas como Servas, são obrigadas a conceber filhos para a elite estéril.
Defred é uma Serva na República de Gileade e acaba de ser transferida para a casa do enigmático Comandante e da sua ciumenta mulher. Pode ir uma vez por dia aos mercados, cujas tabuletas agora são imagens, porque as mulheres estão proibidas de ler. Tem de rezar para que o Comandante a engravide, já que, numa época de grande decréscimo do número de nascimentos, o valor de Defred reside na sua fertilidade, e o fracasso significa o exílio nas Colónias, perigosamente poluídas. Defred lembra-se de um tempo em que vivia com o marido e a filha e tinha um emprego, antes de perder tudo, incluindo o nome. Essas memórias misturam-se agora com ideias perigosas de rebelião e amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário